29/01/2008


outra fera alegórica



a vaca cor de barro
eu vinha de longe em longe
quando ela me viu
achei no seu olho de boi
um ameaço

havia uma bifurcação
por onde enfiar a esperança
e o temor
ao pé de mim a cada passo
suas bostas

antes deste empate
eu ouvia os sapos
cada coaxar era um buraco
esponjoso de onde um som
de água opaca



Ronald Augusto
do livro no assoalho duro / éblis editora
retrato de Ronald Augusto por Rosa Marques / acrílica sobre papel

3 comentários:

  1. “outra fera alegórica” salta da tela de teu blog, Alexandre ou faz com que se entre nela para estar junto a “vaca cor de barro”, sentir o “ameaço” “no seu olho de boi”.
    o fecho é de uma sensibilidade singular, sonora.

    ResponderExcluir
  2. bah, valeu meu mano! a família agradece!

    ResponderExcluir
  3. Legal o Ale postar um poema teu Ronald! Enriqueceu mais ainda o blog. Um beijão pra ti e muito sucesso!

    ResponderExcluir