13/01/2008


no dia seguinte

decifrando os sulcos da caneta

na página em branco

ao resgatar o poema posto fora

encontrei a minha arte


alexandre brito
do inédito c
ine ABC


6 comentários:

  1. NÃO CONCORDO, TCHÊ. VOCÊ NUNCA FOI UM POETA PROLIXO.PARABÉNS PELO BLOG. VÁ VISITAR O MEU TAMBÉM, E DEIXE UM HAIKU POR LÁ.

    BEIJIM

    ResponderExcluir
  2. Opa! Versatilidade aqui.
    Gostei !
    Bjo

    ResponderExcluir
  3. Lindo, lindo, lindo!!!
    Muita coisa bonita por aqui e muito virá ainda!
    E os dias das primeiras postagens, diga-se de passagem, foram dias especialíssimos.
    Parabéns querido! Fiquei feliz!
    Beijo de luz!

    ResponderExcluir
  4. .





    E que fez da tua arte
    a página pálida de susto?

    ResponderExcluir
  5. Alexandre :

    Quantos poemas colhi em velhas agendas, em papéis dispersos na minha bolsa á tiracolo.
    Fazer versos é uma simbólica reciclagem de resíduos poéticos.

    Abraço.

    Ricardo Mainieri

    ResponderExcluir