17/03/2009



Doravante Dora


Na noite escura
A luz é Dora
Dourada Dora
Mulher não és
Rabit, Dora?
Entre os sinais
Sinaliza Dora
Entre os espelhos
Já é Senhora
Sem mãe, sem pai
Sem história
Simplesmente Dora
Dourando ao sol
Dura luz
De Dezembro
É Dora
Café pequeno
No Café Concerto
Entre borboletas
Mariposa é Dora
DuraDoura
Contra a luz
No chafariz
Moeda morta
Meretriz
Menina insiste
Do fundo do fosso
Canção blue
Tema livre
Dora em declive
Teto Escarro Vão
Na noite escura
Luz difusa
Mariposa descontinua
Alguém chora
No beco escorre
Para sempre, Dora...
.
Sandra Santos
poeta, artista plástica, web-expert, assina o blog "A gata por um fio".

7 comentários:

  1. ORA ORA,
    POR HORA
    QUE BELA DORA!!

    Parabéns a poetiza Sandra Santos pelo belo poema!
    Grande abraço
    http://lisanunes.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. SonhaDora


    Lindo poema!

    ResponderExcluir
  3. Alexandre, que surpresa encontrar minha Dora aqui!

    nem sei o que dizer...
    ainda bem que gata não fala...rss

    beijo felino

    ResponderExcluir
  4. SonhaDora....
    seu aclives e declives, seu ser inteiro....inteiro por inteiro e nao pela metade!!!
    SonhaDora....e adora os teus sonhos!
    Sonha sempre!
    Adorei Parabens!

    ResponderExcluir
  5. "Na noite escura/A luz é Dora/Dourada Dora"

    gosto bastante,
    parabénSandra!
    belo post Alexandre!

    beijo

    ResponderExcluir
  6. Parabéns, Sandra Santos e obrigada Alexandre Brito, pela belíssima postagem.

    bjs

    Carmem

    ResponderExcluir
  7. Conheço Dora, rainha do frevo e do maracatu! Esta Dora, luz, qd não, mariposa, é produnda, duradoura, luz própria e sombra, dura e frágil, Dora que doura na dor, mas de pele de couro, mulher forte, q não "descasca", demancha-se em lágrimas, ou em água?! Lindo!

    ResponderExcluir